fbpx

Herpes Simples: Top dúvidas!

herpes simples

Como se pega herpes? Qual é o melhor remédio para herpes? Existe diferença entre o herpes labial e genital? Ela tem cura? Herpes é contagiosa? Essas são algumas das dúvidas mais comuns sobre o herpes. Assunto que abordarei hoje.
As doenças da mucosa bucal são comuns e afetam todos os segmentos da população. A candidíase, herpes simples, queilite angular, glossite, aftas são algumas destas doenças que geralmente apresentam sintomas característicos. Outras doenças apresentam sintomas muito parecidos que podem dificultar o diagnóstico com base apenas no exame clínico. 

Vamos as top dúvidas:

herpes labial

1- O que é o Herpes?
Herpes simples é uma doença causada pelo vírus herpes humano (HSV 1 ou HSV 2) que se caracteriza pela formação de pequenas bolhas contendo líquido claro ou amarelado. É um vírus DNA da mesma família do Citomegalovírus (CMV), do Varicela Zoster Vírus (VZV), do Epstein-Barr Vírus (EBV), do Herpesvírus humano 6 (HHV-6) e do Herpesvírus humano 8 (HHV 8).

O herpes simples tipo 1 (HSV-1) é a mais comum e costuma afetar os lábios, boca e face.

2- Como se pega a Herpes?

Estima-se que cerca de 90% da população tenha anticorpos contra o vírus da Herpes e que só atrás do vírus da gripe em questão de incidência. O herpes vírus caminha pelas terminações nervosas e atinge a pele. 

Pode ser transmitido:

  • pelo beijo;
  • pelo copo;
  • uso do mesmo talher;
  • uso da mesma toalha;
  • uso da mesma roupa.

Ou até outro objeto que tenha sido usado anteriormente pelo indivíduo contaminado e que ainda não tenha sido desinfectado.

O vírus da Herpes tipo 2 (HSV-2) é normalmente transmitido sexualmente, e pode ser evitado através do uso de preservativos ou abstinência sexual durante o período de contágio.

3- Quais são os sintomas da Herpes?
No início ela caracteriza-se por ardor, coceira, pontadas e após a formação das bolhas, que se rompem formando uma crosta. Na epiderme (primeira camada da pele), produz alteração nas células e surgem pequenas vesículas agrupadas, que se assemelham a um cacho de uvas. Horas antes do aparecimento das vesículas, as pessoas pressentem a crise pelos sintomas de ardor, queimação ou coceira no local afetado, porque o vírus está replicando e caminhando através do nervo. Geralmente, os sintomas desaparecem após uma semana.

O herpes do tipo 1 frequentemente causa ferida (lesões) nos lábios e no interior da boca, aftas ou até infecção do olho (principalmente na conjuntiva e na córnea) podendo levar a uma infecção no revestimento do cérebro (meningoencefalite).

O herpes do tipo 2 provoca coceira, bolhas ou mesmo úlceras e feridas genitais. Entretanto, algumas pessoas com HSV-2 não apresentam quaisquer sinais (latência). A infecção cruzada dos vírus da herpes do tipo 1 e 2 ocorrer se houver contato orogenital. Isto é, pode-se pegar herpes genital na boca ou herpes oral na área genital.

A herpes genital pode ocasionar febre e ardor ao urinar. Algumas pessoas também referem sintoma de choque explicado pela afinidade do vírus com o sistema nervoso.

4- Qual é o melhor tratamento para a Herpes?
Existe na atualidade o desenvolvimento de diversas vacinas para o tratamento da Herpes, mas nenhum comprovou ser realmente eficaz contra a doença. Medicamentos antivirais por via oral ou pomada como o Aciclovir costuma ser o remédio mais utilizado para a Herpes simples a fim de diminuir os sintomas e a evolução da crise herpética.

5- A herpes labial tem cura?
A herpes labial não tem cura, mas pode ser controlado com pomada para a herpes labial, sempre que a lesão aparece.

6- A imunidade baixa pode ocasionar  remissão da doença?
Sim, a ocorrência do Herpes está diretamente ligada a imunidade da pessoa e a recidiva deste. Pequenas quedas de resistência por estresse físico, psicológico, menstruação, fadiga ou exposição prolongada ao sol também podem ocasionar a infecção herpética.

7- A criança pode apresentar os mesmos sintomas do adulto?
A criança se enche de aftas (gengivoestomatite herpética) e as pessoas geralmente atribuem o problema a algum distúrbio do aparelho digestivo.

Veja quem também falou sobre o assunto:

Fonte: 

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *