Home / Dentística Restauradora e Estética / Sensibilidade na raiz do dente: Parte 2

Sensibilidade na raiz do dente: Parte 2

Você tem sensibilidade na raiz do dente? O que causa esse problema? Como tratar esta sensibilidade? Quanto custa o tratamento?

Falamos sobre os problemas mais comuns com a raiz do dente no post Problemas com a raiz do dente: Parte 1. Estima-se que 60% da população mundial apresente algum tipo de recessão gengival, que é um problema que resulta em sensibilidade na raiz do dente e também no descontentamento estético. No Brasil, 99% dos indivíduos acima dos 40 anos de idade apresentam algum problema de recessão gengival.

1- Quais os fatores que levam à recessão gengival e consequente sensibilidade na raiz do dente?

A recessão gengival é definida de forma simples, como a movimentação da gengiva em direção a ponta da raiz do dente. Ou seja, a gengiva muda da posição normal em direção à raiz.

Já se sabe por estudos científicos que a espessura da gengiva é predeterminada geneticamente. Porém, ela pode mudar sua dimensão ao longo da vida devido a fatores fisiológicos ou não. Dentre estes fatores estão:

  • fatores morfológicos – em conjunto com outros fatores podem resultar na modificação da posição da gengiva: o tipo de osso (esponjoso ou cortical), espessura da gengiva, forma e dimensão dos dentes (anormal), forças musculares agindo na região.
  • fatores funcionais – deglutição alterada, parafunção ou mordida errada, distúrbio de postura,  trauma de escovação dental, piercing e fumo.
  • fatores inflamatórios – má higiene bucal, periodontite (doença na gengiva), idade, gênero, doenças sistêmicas (do coração, diabetes, pressão alta).

 

2- Quais problemas podem advir de uma recessão gengival?

Problemas de hipersensibilidade dentária, dor, lesão de cárie, insatisfação estética, sangramento gengival e retenção de placa bacteriana. Outros problemas incluem formações de bolsas periodontais (problemas na gengiva), fendas gengivais e retração gengival.

Porém, a recessão gengival é resultado final do impacto de diversos fatores, e a extensão do impacto é muitas vezes impossível de estabelecer.

3- Qual é a melhor forma de diagnóstico e tratamento?

O melhor período para o diagnóstico precoce das recessões gengivais ocorre durante a visita de rotina de um paciente para prevenção ou profilaxia. Nesta consulta, o dentista irá medir a espessura, altura e profundidade da gengiva, também o índice de sangramento gengival assim como o nível de recessão e inflamação gengival. A documentação ortodôntica que o especialista solicita antes do início de um tratamento ortodôntico também é uma importante ferramenta de diagnóstico. A tomografia computadorizada é uma fonte alternativa de diagnóstico que paulatinamente é introduzida no dia-a-dia do dentista.

Os melhores tratamentos são terapia mucogengival que ajudam no aumento significativo de gengiva. Dentre as técnicas, estão as múltiplas técnicas de aumento gengival, geralmente cirurgias e aquelas de regeneração tecidual guiada. Também são utilizadas membranas de colágeno humanas, de porcos ou Teflon para cobrir as recessões gengivais.

4-Quanto custa um tratamento para sensibilidade na raiz do dente?

Como você pode perceber, existem diversas situações que podem ocorrer e influenciar no preço do tratamento destas recessões. Então, fica a pergunta: bons profissionais geralmente custam “baratinho”? Procure tratar somente com bons profissionais indicados por alguém que você conheça. O barato sai caro! Não economize com a sua saúde. Cuide dela somente com os melhores.

Acesse nossa página do Facebook e siga o nosso Instagram!

Fonte:

Comentários via Facebook

Check Also

Dentes separados ou diastema: Como fechar estes espaços?

Dentes separados ou diastema: Como fechar estes espaços? Top 5 dúvidas! Hoje, cosmética e estética …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *