Home / Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial / Disfunção da Articulação Tempormandibular tem Cura? Top Dúvidas

Disfunção da Articulação Tempormandibular tem Cura? Top Dúvidas

disfuncão da articulação temporomandibular

Disfunção da Articulação Temporomandibular (DTM) e Disfunção Temporomandibular (DTM) são a mesma coisa? Dor de cabeça é sinal de DTM? O que é a Artroscopia da ATM? Para que serve a Artroscopia da Articulação Temporomandibular? 

Hoje, vamos falar sobre um assunto que traz muitas dúvidas para o paciente. As disfunções na articulação temporomandibular afetam cerca de 10% da população mundial e tem maior incidência em mulheres jovens. O Cirurgião Bucomaxilofacial Dr. Marcus Kasaya, colaborador na Clínica Ortocia, responderá as principais dúvidas sobre a Articulação Temporomandibular, disfunção temporomandibular, artroscopia e artrocentese.

Vamos as dúvidas:
1- Disfunção da Articulação Temporomandibular ou disfunção temporomandibular (DTM)?

Disfunção da ATM ou disfunção temporomandibular (DTM) são nomes diferentes para descrever a mesma problemática, ou seja, a desordem no sistema que articula a maxila e a mandíbula dos seres humanos.

2- Quais são os sintomas mais comuns de uma DTM?

Os sintomas mais comuns são dores na face e nos maxilares, dificuldade para mastigar ou falar, ruídos ou estalos ao abrir e fechar a boca, travamento da abertura da boca, pressão atrás dos olhos, dor ou zumbido nos ouvidos.

Também são relatados dor de cabeça, inchaço na lateral do rosto, problemas para dormir e dor constante com períodos de piora no decorrer do dia. Se você está procurando por Bruxismo já falamos deste assunto no post “Bruxismo principais dúvidas!

3- É uma doença muito comum? Qual é a forma mais comum de DTM?

Estima-se que cerca de 10% da população mundial é afetada pela DTM e parece atingir mais mulheres jovens. A forma mais comum desta doença é o desarranjo interno, onde cerca de 80% dos sinais e sintomas tem alguma forma de desarranjo interno da articulação temporomandibular.

4- O que é o desarranjo interno?

O desarranjo interno é uma condição intra-articular (dentro da articulação temporomandibular) onde há um desequilíbrio da relação normal do disco articular da ATM com a eminência articular e o côndilo quando a articulação está em repouso ou em função.

Para entender a anatomia e cada uma das partes citadas anteriormente sobre a ATM assista este vídeo:

 
5- O melhor tratamento para a DTM é a Artroscopia? Todos os casos necessitam cirurgia?
 
A maioria dos casos pode ser tratada de maneira não cirúrgica. Apenas 5% a 10% dos que apresentam sintomas necessitam tratamento médico, nos demais casos, eles regridem espontaneamente.
Existem diversos tratamentos, e dependendo do diagnóstico pode ser resolvido através de fisioterapia, uso de analgésicos, Botox (Leia o post Botox: Top 10 dúvidas sobre a Toxina Botulínica), placas de acrílico até cirurgias.
Por isso, a importância de diagnosticar a doença em um bom dentista com especialização na área de DTM e Dor Orofacial.
 

O diagnóstico e/ou tratamento da DTM através da artroscopia, é uma nova tecnologia já utilizada para tratamentos de joelho, agora foi adaptada para ser utilizada no tratamento de diversos tipos de desarranjos internos. 

 
disfunção da articulação temporomandibular

6- Como funciona uma cirurgia de Artroscopia?

 Através da utilização de microcâmeras, é possível a investigação das áreas “doentes” da articulação. Com este mesmo equipamento é possível a realização de microcirurgias ou cirurgias minimamente invasivas, substituindo as antigas cirurgias que necessitam do corte na frente da orelha.
 
É necessário apenas um dia de internação e o pós operatório é muito simples. Todo procedimento é realizado em ambiente hospitalar sob anestesia geral.
 
7- O que é melhor a Artroscopia ou a Artrocentese?
Estudos recentes apontam que ambos procedimentos promovem uma melhora na redução da dor e melhora na abertura de boca. Porém, a artroscopia apresentou-se mais eficiente nestes quesitos.
 
Fonte:
  • Al-Moraissi EA. Arthroscopy versus arthrocentesis in the management of internal derangement of the temporomandibular joint: a systematic review and meta-analysis. Int J Oral Maxillofac Surg. 2014 Aug 7
Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *